Dúvidas

Dúvidas

Qual é a escova ideal?

A escova dental deve ser macia, ter cerdas de boa qualidade e a cabeça pequena, para que o usuário possa direcionar a escovação a cada dois dentes de cada vez. Quanto menor o paciente, menor deve ser a sua escova. A maioria das escovas é muito eficiente quando usadas com a técnica correta de higienização. Após a escovação deve-se sempre secar a escova antes de guardá-la, para que ela não acumule bactérias.

Qual é o creme dental ideal?

O creme dental é menos importante do que a técnica correta de escovação e a qualidade da sua escova. Uma boa escovação pode até ser feita sem creme dental. A grande vantagem da utilização dos cremes dentais é a de que alguns deles possuem flúor e cálcio em sua composição, o que contribui para a saúde do esmalte dentário.

Bebês que ainda não têm a dentição completa podem usar escova?

Os bebês que estão iniciando a dentição podem e devem ter a higienização realizada com a ajuda de fralda ou de gaze molhada em água sempre filtrada. Existem, também, dedeiras com cerdas nas pontas que parecem escovas dentais e são indicadas para bebês. Mesmo sem dentes, é importante cuidar da saúde bucal do bebê.

Crianças podem usar o mesmo creme dental dos adultos?

As crianças que não sabem cuspir devem usar pastas especiais, sem adição de flúor. Quando elas aprendem a cuspir, podem usar os mesmos dos adultos.

Qual é a diferença entre fio dental e a fita dental?

Depende de cada usuário. Se ele tem os dentes muito unidos, provavelmente a fita dental não vá passar entre eles, neste caso só o fio dental. Porém, a fita, por ser mais larga, consegue remover mais resíduos. O importante é que nenhum deles deve desfiar; se a fita/fio desfiar ou cortar é porque tem alguma restauração mal adaptada naquele local.

Para que servem os anti-sépticos, do tipo enxágue bucal?

O anti-séptico tem benefício muito pequeno quando o comparamos a escovação e ao fio dental (isoladamente são suficientes). Isto porque temos um grande fluxo de saliva, o que faz com que o anti-séptico permaneça por pouco tempo na cavidade bucal, não dando tempo de agir. Além disso, a placa bacteriana é um biofilme muito bem organizado que é removido completamente somente com a limpeza mecânica (fio/fita/escova). A limpeza química (bochechos), não consegue chegar nas camadas internas deste biofilme.

Qual a importância de escovar a língua?

Na língua existe uma camada de papilas gustativas – pequenas saliências que são responsáveis pelo reconhecimento do sabor dos diferentes alimentos. O acúmulo de resíduos de alimentos se fermenta e cria bactérias, que se não forem removidos corretamente, formam uma camada branco-amarelada chamada saburra lingual. Essa camada é que provoca o mau hálito. Para evitar o acúmulo bacteriano é muito importante escovar a língua sempre durante as escovações, com movimentos suaves que se estendam por toda a sua superfície. É recomendado também o uso de raspadores de língua (vendidos em farmácia) que fazem essa limpeza com mais eficiência.

Como é feito o clareamento dental?

Existem duas formas de se fazer o clareamento. No tratamento convencional, o dentista molda uma placa no formato dos dentes do paciente. Preenchido com gel para clareamento, o paciente usará esse molde de cinco a seis noites, em sua casa, até o resultado ficar satisfatório. Já o clareamento a laser é realizado em uma hora, no consultório. A vantagem é a rapidez e maior comodidade, já que no clareamento comum o paciente deve dormir com a placa e o gel. O clareamente a laser é rápido e simples, mas tem resultados significativos. Este tratamento não estraga os dentes, pois é feito a base de Peróxido de Carbamida, composto que libera o oxigênio responsável pelo clareamento dos dentes. É possível também clarear os dentes com canais já tratados e, para evitar o escurecimento, a longo prazo, é melhor evitar alimentos com corantes (chocolate, café, coca cola, vinho tinto) e o cigarro – o pior vilão.

Por que as gengivas sangram?

Provavelmente porque está instalada uma doença gengival. As doenças gengivais, na maioria das vezes, não causam dor, o que faz com que a pessoa não procure o atendimento do dentista, agravando o quadro. É importante ficar atento aos sinais da instalação de doenças gengivais, como o sangramento ao escovar ou passar o fio dental ou a retração gengival, o inchaço da gengiva e, em casos isolados, até mesmo alguma dor..

O que é Periodontite?

Periodontite é uma doença causada por bactérias e que, portanto, é contagiosa. A causa mais comum é a higienização incorreta dos dentes, pois as bactérias se proliferam em meio a restos alimentares. Os sintomas são inflamação, sangramento (na fase inicial), retração das gengivas (expondo a raiz e dando a impressão que os dentes estão mais compridos) e mobilidade, o que pode levar a perda dos dentes. O tratamento é feito através de raspagens e, em casos mais graves, do uso de antibiótico. É importante que o paciente colabore, fazendo a correta higienização com pasta e escova 3 vezes ao dia, o uso do fio dental e de enxaguatórios bucais. O uso do aparelho ortodôntico nesta fase não é indicado.

O que é placa bacteriana e tártaro?

A placa bacteriana e as temidas cáries são provocadas pela má-escovação. A escovação ineficiente permite o acúmulo e o aumento da placa, que é uma massa de bactérias que causa cáries. Já o tártaro, ou cálculo dental, nada mais é do que a placa bacteriana que é calcificada pelos sais existentes na saliva. A placa bacteriana que não é removida devido à escovação incorreta ou insuficiente se transforma no tártaro, que então só pode ser removido pelo dentista, através de raspagens.

Todas as pessoas podem tomar anestesia?

Há casos em que o paciente não deve ser anestesiado. Quem possui hipertensão arterial, alergias diversas, histórico cardíaco ou vascular dignos de cuidados, é recém-transplantado, tem histórico de acidente vascular cerebral, está grávida ou desconfia de algum problema de saúde não deve ser anestesiado. Por isso, é muito importante informar o dentista sobre seu estado de saúde antes do procedimento odontológico. Usuários de drogas também não podem receber anestesia.

Por que há maior sensibilidade nos dentes restaurados e com canal?

A sensibilidade térmica pode se manifestar em um dente com o canal tratado, porém com grau diferente de um dente não tratado. É preciso observar se o tratamento de canal foi realizado em todas as raízes (condutos) e se a sensibilidade é realmente deste dente, pois pode ocorrer a sensibilidade reflexa, que é quando o ponto de sensibilidade é tido como o do dente que se fez canal, porém sua origem é em outro dente.

O que é Profilaxia?

Pode-se entender profilaxia como uma ”faxina”, uma limpeza física dos dentes utilizando ora instrumentos rotatórios e pasta abrasiva, ora jato de material abrasivo como o bicarbonato de cálcio. Este procedimento não prejudica a integridade dos dentes.

O que é Endodontia?

Mais conhecido como tratamento de canal, ocorre quando a polpa dentária é atingida, geralmente por um processo avançado de cárie. A polpa do dente é o conjunto de nervos e vasos existentes no interior do dente, e, quando removida, é substituída por uma pasta obturadora. Os sintomas mais característicos que indicam o tratamento de canal são dor espontânea, de forma latejante e que aumenta com o calor. O tratamento do canal é indolor, devido ao uso de anestesia local. Existe a possibilidade de o paciente sentir dor nas primeiras 48 a 72 horas, decorrente da aplicação do anestésico e da manipulação do dente. Nestes casos, o dentista poderá prescrever o uso de medicamentos.

O que é Tratamento de Canal?

Tecnicamente nomeado Endodontia, ocorre quando a polpa dentária é atingida, geralmente por um processo avançado de cárie. A polpa do dente é o conjunto de nervos e vasos existentes no interior do dente, e, quando removida, é substituída por uma pasta obturadora. Os sintomas mais característicos que indicam o tratamento de canal são dor espontânea, de forma latejante e que aumenta com o calor. O tratamento do canal é indolor, devido ao uso de anestesia local. Existe a possibilidade de o paciente sentir dor nas primeiras 48 a 72 horas, decorrente da aplicação do anestésico e da manipulação do dente. Nestes casos, o dentista poderá prescrever o uso de medicamentos.

O que é Ortodontia?

A Ortodontia é uma especialidade da Odontologia que cuida da prevenção e do tratamento dos problemas dos dentes em má posição nas arcadas dentárias.

Por que corrigir as arcadas?

Há duas razões para realizar um tratamento ortodôntico: estética e funcional. Na estética, a correção melhora a fisionomia, conferindo traços mais harmônicos. Na funcional, a posição dos dentes nos ossos da face muitas vezes não permite um contato correto entre os dentes da arcada superior e os da arcada inferior. É a má oclusão, que pode ter origem ainda na fase de formação do bebê ou que pode ser desencadeada através do uso da chupeta, do hábito de chupar o dedo ou roer unhas..

Como funciona o aparelho ortodôntico?

A Ortodontia baseia-se em princípios físicos da mecânica (técnica de movimentação) e princípios biológicos do ser humano (capacidade de gerar e absorver tecido ósseo). O aparelho fixo ou móvel movimentará gradativamente os dentes para a posição correta. Essa movimentação é possível graças à pressão exercida pelos fios, elásticos, molas, etc. dos aparelhos fixos ou pelo conjunto do aparelho móvel, forçando o sistema de absorção e formação de osso ao redor dos dentes.

Por que fazer manutenção do aparelho ortodôntico?

Nosso organismo aceita muito bem a técnica ortodôntica a cada 28 dias. Uma ativação mais freqüente ou força exagerada (aceleração do tratamento) em períodos inferiores a 28 dias causam lesões nas estruturas de suporte dos dentes (osso e raízes) chegando a casos de perda dos dentes. A cada consulta são realizados avaliações e controle dos resultados obtidos pela última ativação, seguindo o planejamento ortodôntico feito especialmente para cada paciente. Os intervalos entre as consultas não devem ser menores do que 15 dias e nem maiores do que 45 dias, e isso inclui a troca das “borrachinhas”, já que este processo é uma etapa da ativação do aparelho. Portanto, o paciente deve também cooperar, sempre evitando atrasos e faltas nas consultas.

O que pode acontecer se houver interrupção do tratamento ortodôntico?

Às vezes um paciente que está usando aparelho comunica que quer tirá-lo por acreditar que o resultado já está satisfatório ou simplesmente precisa fazê-lo por questões pessoais. Em ambos os casos, o paciente precisa arcar com as conseqüências do tratamento interrompido e ter consciência do que pode acontecer com os dentes. Ao interromper um tratamento ortodôntico, todas as conquistas obtidas até então podem se perder, ou seja, os dentes podem retornar a posição original. Isto é bastante comum quando não se termina um tratamento com estabilidade. Já nos casos em que o paciente simplesmente “desaparece” do consultório, é importante que ele saiba que se não houver a manutenção dentro do período estabelecido pelo dentista, o fio ortodôntico permanece agindo e pode comprometer a estrutura dos dentes. É fundamental retomar o tratamento ou retirar (pelo menos) o fio. Para retomar o tratamento após um longo período sem manutenção, provavelmente será preciso fazer uma nova documentação ortodôntica ou, no mínimo, uma radiografia panorâmica. A documentação tem um prazo de validade e, como os dentes já se movimentaram, essa documentação já não corresponde mais a situação bucal atual.

Para que serve a documentação ortodôntica?

A Documentação Ortodôntica é composta por exames radiográficos do crânio (telerradiografia), das arcadas (radiografia panorâmica) e modelos dos dentes em gesso, realizados no centro de radiologia ortodôntica. Com esse exame serão feitos estudos para definir qual técnica e aparelho será mais eficiente, além da projeção do crescimento da face nas crianças e nos jovens, podendo prevenir problemas que poderiam acontecer no futuro.

Quais são os tipos de aparelhos mais usados?

Existem, basicamente, dois tipos de aparelho ortodôntico: o fixo e o móvel, que pode ser metálico ou estético (transparente). O ortodontista poderá orientar com precisão o tipo de aparelho mais adequado para cada caso. Existem também aparelhos acessórios que, usados junto com o fixo, auxiliam na complementação técnica do tratamento, como o aparelho extra bucal, a mentoneira e os expansores.

O que é contenção?

No final do tratamento, quando são retirados as bandas, os braquetes e os fios, o paciente entra na fase de contenção. O paciente deve usar a contenção (que poderá ser fixa ou móvel) por alguns meses para evitar que os dentes voltem à antiga posição do início do tratamento. O tempo de uso da contenção será estabelecido pelo ortodontista.

A pessoa que já tem prótese dentária pode usar aparelho?

Não há problemas em colocar aparelho ortodôntico sobre a prótese, apenas não poderia se fosse implante. No entanto, dependendo do tipo de acabamento, talvez seja necessário desgastar um pouco a superfície esmaltada da prótese para a fixação do braquete (a peça metálica que é colada em cada dente). Se a necessidade de desgaste for grande, para não danificá-la, o dentista poderá substituir a prótese de porcelana por uma provisória, recolocando-a no término do tratamento.

Quando o implante é recomendado?

É recomendado nos casos em que não exista mais a raiz do dente ou que esta não possa ser aproveitada, pois sempre que possível, é melhor manter a própria raiz dental como pilar de sustentação. Para a realização do implante, serão feitos exames radiográficos prévios (panorâmica e tomografia), para avaliar a quantidade de osso remanescente (altura e espessura) e verificar se há estrutura óssea suficiente para receber o implante.

O implante pode causar algum tipo de rejeição?

Como o titânio é um material biocompatível, é bem aceito pelo organismo, assim como os pinos usados pelos ortopedistas, feitos com o mesmo material. O que pode ocorrer, em alguns casos, é haver a formação de uma fibrose, e não de osso, ao redor do implante. Ou seja, formar uma cicatriz, um tecido que não dá estabilidade. Neste caso, é preciso remover o implante, limpar a fibrose e fazer um novo implante.

O que é implante de carga imediata?

O sistema é denominado implante de carga imediata quando, logo após a instalação do pino de titânio, a prótese que substituirá o dente perdido precisa ser imediatamente acomodada. Este processo é utilizado para finalidades estéticas, quando uma pessoa perde um dente em situações imprevistas. Este tipo de implante é indicado para regiões anteriores (dentes da frente) onde a força mastigatória é menor e a questão estética é crítica, resultante da necessidade de reposição imediata do dente.